Este blog encontra-se inativo. Se quiser continuar lendo o que escrevo me acompanhe aqui:http://sheilaromejon.blogspot.com.br/

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Teoria Geral das Neuroses - Parte 2

Os sintomas neuróticos aparecem como substitutos para algum conteúdo inconsciente. Um processo mental, que sob condições normais teria se desenvolvido até tornar-se consciente, foi interrompido no meio do caminho causando o surgimento do sintoma.

A base fundamental de uma terapia psicanalítica consiste em trazer à consciência, ou seja, dar acesso verbal a estes conteúdos inconscientes.

Durante o processo terapêutico o paciente é estimulado a falar sobre tudo o que lhe vier à cabeça, sem filtro nem censura, com o objetivo de recuperar ou estabelecer conexões entre os sintomas e o conteúdo inconsciente. Seria simples, não fosse a resistência do paciente.

O analista deve estar sempre atento para reconhecer as tentativas do paciente de esquivar-se de um determinado assunto. A princípio a resistência pode parecer um obstáculo, mas na verdade ela contém o material mais importante da história de vida do paciente e torna-se uma ferramenta no processo analítico.

Esta força contrária ao desenvolvimento do processo terapêutico é a mesma que se opôs ao processo mental, interrompendo-o e dando origem ao sintoma. Entender as resistências do paciente é um primeiro passo para ter acesso aos conteúdos indesejados e reprimidos, causadores dos sintomas.

Continua...