Este blog encontra-se inativo. Se quiser continuar lendo o que escrevo me acompanhe aqui:http://sheilaromejon.blogspot.com.br/

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Teoria Geral das Neuroses - Parte 3

Dizer que o sintoma neurótico é um substituto para um desejo reprimido, tudo bem. O problema para a aceitação da Psicanálise começa quando Freud diz que "estas pessoas [os neuróticos] ficaram doentes devido à privação que sofreram quando a realidade tirou deles a gratificação de seus desejos sexuais."

Quer dizer, a base para toda neurose é a repressão de um desejo sexual? Sim, é isso que Freud defende e reconhece que "é possível fazer todos os tipos de objeções à proposição de que os sintomas neuróticos sejam substitutos das gratificações sexuais."

Para defender seu ponto ele fala sobre a importância de se entender o que significa o termo "sexual".

No senso comum, "sexual" é algo que combina referências às diferenças entre os sexos com excitação, prazer, gratificação, função reprodutiva, idéia de algo impróprio e necessidade de esconder esse algo.

Esta definição colocaria muita gente na categoria de "pervertidos" (que não têm uma vida sexual "normal"): homossexuais, pessoas que praticam sexo oral ou anal, podólatras, pessoas que se excitam com fezes e urina, fetichistas, voyeurs, exibicionistas, sádicos, masoquistas.

Por mais espanto que isso tudo possa causar, há alguma dúvida de que todas estas coisas representam as atividades sexuais destas pessoas?

"Se não entendermos estas formas mórbidas [sim, ele fala mórbidas] de sexualidade e não pudermos relacioná-las com o que é normal na vida sexual, então também não poderemos entender a sexualidade normal." (Freud)

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário