Este blog encontra-se inativo. Se quiser continuar lendo o que escrevo me acompanhe aqui:http://sheilaromejon.blogspot.com.br/

domingo, 24 de maio de 2015

A infelicidade de quem tem "tudo"

Como é possível alguém que tem tudo para ser feliz apresentar sintomas de ansiedade ou de depressão?

O sujeito não tem problemas de saúde, tem dinheiro, um bom emprego, uma família, amigos queridos... Pronto, pacote completo, não tem do que reclamar. E se reclama é mal agradecido pois tem muita gente que não tem metade do que ele tem e vive feliz. 

Só que a nossa vida não se resume aos fatos concretos, ao que temos ou deixamos de ter, ao que fazemos ou deixamos de fazer.

Diariamente temos contato com acontecimentos agradáveis e desagradáveis que afetam a nossa vida. Estas situações fazem parte do ambiente em que estamos inseridos. No entanto o ambiente não é tudo. Existem outros fatores que compõem o nosso metambiente*. 

O ambiente é formado por todas as possibilidades e limitações que norteiam as nossas ações. Já o metambiente é composto pelos fatores que permitem ou impedem a  expressão de nossos desejos e emoções a respeito daquilo que vivenciamos.

Uma pessoa que tem uma vida confortável, família, amigos, pode não ter entre estas pessoas ninguém
que o escute e o acolha quando ele tem necessidade de falar sobre seus sentimentos. Ou seja, apesar do ambiente ser bom, o metambiente é ruim.

O contrário também pode acontecer, ter uma situação de vida complicada, passar por necessidades financeiras, problemas de saúde, mas encontrar no seu círculo de amigos ou na família alguém capaz de ouvir as suas dores e acolher suas angústias.

Pode acontecer de o primeiro sofrer com crises de ansiedade enquanto o segundo consegue lidar com seus problemas de maneira serena e equilibrada, mantendo-se psiquicamente saudável.

No que diz respeito à saúde mental, mais importante do que aquilo que se passa conosco é a possibilidade de podermos falar o que pensamos e como nos sentimos a respeito do que aconteceu. Os eventos por si só não causam os transtornos mentais, a falta de escuta e de acolhimento sim.

* Conheci este termo através do Ebraico, em seu livro A Nova Conversa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário